fbpx

Impotência sexual – como enfrentar

Impotência sexual – como enfrentar

Muitos homens não sabem como reagir ao apresentar sintomas de impotência sexual. A busca por ajuda tende a ser bastante tardia e repleta de conflitos e esse quadro se agrava ainda mais após o diagnóstico da doença, sendo motivo de vergonha e isolamento. Assim, hoje te ajudaremos a desmitificar a convivência com essa doença: Afinal como enfrentar a impotência sexual?

Tenho ou não tenho? Eis a questão!

A primeira coisa que você precisa considerar ao enfrentar a impotência é: eu já estou diagnosticado? Isso parece besteira, mas é muito importante! Se você teve problemas para manter a ereção em algum momento na vida isso não necessariamente significa que você sofra de impotência.

Isso porque eventos pontuais de disfunção erétil são muito comuns. Em pesquisa realizada em 2021, o Datafolha constatou que pelo menos 38% dos internautas masculinos já sofreram de disfunção erétil em algum nível entre os anos de 2019-2021. E por que isso acontece? Por diversos motivos: cansaço, estresse, ansiedade e sedentarismo são algumas das causas mais comuns de disfunção erétil e que podem advir da rotina diária.

Agora se os eventos de disfunção se tornam persistentes, é o momento de parar e procurar ajuda médica. Isso não deve ser uma prática vergonhosa, cuidar da saúde é absolutamente normal e ter um diagnóstico de um profissional capacitado é fundamental para o tratamento e cura da doença. Você deve procurar um andrologista para que ele possa fazer exames e definir a origem da disfunção que pode ser tanto física quanto psicológica.

Diagnóstico fechado e agora?

Após a avaliação médica se o seu diagnóstico for positivo, primeiro: Calma! Existe cura então dificilmente você irá sofrer de impotência pelo resto da vida. Segundo: faça o tratamento que à risca. Existem diversas maneiras de tratar a impotência a depender da sua origem:

se for psicológica você deve fazer psicoterapia onde serão tratadas as questões emocionais que desencadeiam a doença, se for de origem física pode haver intervenção medicamentosa para tratar outra doença que tenha como efeito colateral a impotência, como doenças cardiovasculares e neurológicas, ou reposição de hormônios e o uso de remédios que ajudem na manutenção da ereção. Seguir as etapas do tratamento seja ele qual for é fundamental para aumentar as chances de recuperação.

Posso ter vida sexual durante o tratamento da impotência?

Claro que sim, mas isso deve ser feito de uma maneira que você se sinta confortável. Você não deve se pressionar para voltar a ter uma vida sexual ativa se isso não te fizer bem.

Mude seus hábitos

Os médicos poderão recomendar mudanças de rotina que aumentam a qualidade de vida e podem ajudar no tratamento da impotência: prática regular de exercício, alimentação equilibrada e sono regular ajudam a amenizar os sintomas da impotência sendo muitas vezes fundamentais para solucionar o problema.

Conclusão

O enfrentamento da impotência deve ser naturalizado, é necessário superar os estigmas impostos pela sociedade e encarar os sintomas e tratamentos como algo normal e que não têm relação com a masculinidade do indivíduo. Procurar ajuda médica é fundamental para a cura.

Tags: | | | | | | |

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.